“O professor” não existe: desigualdades em gênero, número e grau entre o professorado brasileiro

Embora sejam maioria entre o professorado brasileiro em todos os níveis, as mulheres ainda têm menos acesso a segmentos mais valorizados como o ensino médio e o superior.

Certa vez faciltei um workshop sobre desigualdade de gênero no ensino superior e na ciência, em um congresso de jovens ativistas. Com participantes de diferentes países, formamos grupos de três ou quatro pessoas. Eu falava algumas palavras e eles precisavam desenhar uma representação gráfica do que eu pedia. Em inglês, há a vantagem de os substantivos de profissão raramente possuírem gênero. Assim, quando eu pedi que desenhassem “a preschool teacher”, eles poderiam ter desenhado um homem ou uma mulher que fossem professores de pré-escola. Todos os grupos desenharam mulheres. Dali a alguns desenhos, mais adiante, pedi que representassem “an university professor” – ou seja, um docente de universidade. Quase todos os grupos desenharam figuras masculinas, com exceção de um pequeno grupo de norueguesas e finlandesas feministas que participava da discussão.

Nesta terça-feira (15) comemoramos o “dia do professor” no Brasil. Minha experiência como professora, assim como a anedota do workshop, mostram que esse “o professor”, assim, no geral, simplesmente não existe. Os professores e professoras são uma categoria que inclui diferentes tipos de trabalho, salário e prestígio social. Ao contrário do que a generalização da figura de “o professor” pode sugerir, porém, os homens são minoria no professorado em nosso país. Diferente do que podemos imaginar a partir dessa informação, por outro lado, são eles que ocupam os cargos de maior salário e prestígio.

Num texto um pouco longo, trago algumas reflexões – tão esquecidas e tão necessárias – sobre um dos diversos tipos de desigualdade do nosso sistema educacional: a desigualdade de gênero entre docentes de todos os níveis. Continuar lendo “O professor” não existe: desigualdades em gênero, número e grau entre o professorado brasileiro