5 bons conselhos para a véspera do ENEM

O Enem ganhou, nos últimos anos, uma importância cada vez maior no acesso ao ensino superior e a outras oportunidades profissionais e acadêmicas no Brasil. O desempenho na longa prova serve para distribuir as vagas das universidades federais (por meio do Sisu) mas também como avaliação para entrada em universidades particulares, distribuição de bolsas do Prouni, acesso a financiamento estudantil (Fies), e até mesmo como forma de classificar candidatos a intercâmbios no programa Ciências Exatas Sem Fronteiras. Ao mesmo tempo, o exame foi sendo reformulado para se adequar às exigências curriculares atuais do ensino médio, mas também para que seus resultados sejam cada vez mais seguros e, na medida do possível, mais “meritocráticos” (deixo a discussão sobre tal conceito pra outra hora).

Tudo isso significa, para os estudantes do ensino médio, nesta sexta-feira, apenas uma coisa: tensão.

No sistema escolar, estamos acostumados a sermos avaliados de acordo com nosso desempenho em provas, notas, exames. Faz parte do funcionamento desse sistema e da estratégia que ele usa para se auto-reproduzir (explicando Bourdieu de maneira um pouco simplificada). Aos poucos, internalizamos que só valemos, como seres humanos, aquilo que nosso boletim mostra. Essa ideia é bem cruel, e está tão disseminada que mesmo alunos de escolas que não são voltadas para o vestibular sentem o mundo sobre seus ombros em dias de provas como o Enem.

Por isso, trago a vocês 5 bons conselhos do que fazer na véspera do Enem (e também na véspera de vestibulares e outras provas, entrevistas e seleções que vocês farão ao longo da vida – avis: não são poucas e muitas vezes farão o vestibular parecer uma doce brincadeira…).

1. Não estude

Estudar na véspera de provas importantes é uma das piores coisas que fazemos. Em geral isso ajuda a aumentar a tensão, já que sempre haverá coisas das quais não lembramos bem, pontos obscuros que poderíamos ter resolvido antes, etc. Como o Enem é uma prova analítica e menos conteudista que a maioria das provas escolares e dos vestibulares, concentre-se na maneira de usar aquilo que você já sabe em vez de se torturar pelo que você não aprendeu. De toda maneira, aquilo que você não aprendeu até ontem, definitivamente não será aprendido hoje. Deixe os estudos de lado já e só os retome na segunda feira: você frequentou a escola o ano todo, teve tempo pra estudar (e pode ser que tenha de fato estudado) e agora merece um descanso. Aproveite.

2. Confira seus relógios

O Enem tem essa perversidade de sempre ser realizado logo depois da mudança para o horário de verão (nos estados em que há horário de verão, claro). Por isso, não esqueça de checar se todos os relógios à sua volta estão sincronizados. Assim você evita que, na pressa, amanhã, você se paute pelo relógio do microondas que era justamente o único que ninguém lembrou de atualizar. Pois é. Não custa nada gastar cinco minutinhos checando se todos os relógios da sua casa, carro, celular, pulso, amigos, família, computador, etc. estão no horário correto.

3. Revise horário e local de prova

Esse conselho é básico, a princípio. Mas todo ano há quem chegue atrasado porque esqueceu horário, entendeu errado, achou que o local de prova era um e era outro, ou achou que a “Rua da Independência” era um lugar e quando chega lá era “Avenida Independência”, enfim. É sério o negócio: justamente porque parece uma tarefa tão idiota lembrar o horário e o local da prova é que tanta gente se atrapalha com isso. Não se superestimem nesse aspecto. Na hora do nervosismo, da pressa, dos imprevistos, tudo pode acontecer. Pegue o endereço exato do local de prova, confira no Google Maps, confirme com sua carona ou cheque os ônibus que  você vai precisar pegar. Calcule sempre chegar com uma hora de antecedência. Assim, na pior das hipóteses, no pior dos imprevistos, você tem uma hora extra pra decidir como agir pra chegar a tempo.

4. Vá ao supermercado

 Comida em geral nos deixa feliz e relaxados. Vá ao supermercado e escolha coisinhas leves mas saborosas para comer durante a prova. Um saquinho de cerejas ou outra fruta fácil de comer, por exemplo. Uma barrinha do seu chocolate favorito. Frutas secas. Castanhas. Pringles. Só não esqueça de não comer demais na noite anterior e no dia da prova, já que qualquer emergência gastrointestinal pode ser um desastre.

5. Monte sua mochilinha com o kit-prova

Não deixe para a última hora. Você vai ficar muito mais tranquilo/a se souber que tudo está certinho na mochila: caneta preta de tubo transparente, documentos, dinheiro, cartão de inscrição, questionário socioeconômico, celular. Coloque tudo numa bolsinha ainda hoje. É mais fácil ter de lembrar de levar apenas a bolsinha do que memorizar a lista toda de coisas amanhã, enquanto se preocupa com horário e sentindo a tensão da prova.

Deixe uma resposta